Habitação e Infraestrutura

Obras históricas garantem abastecimento em Juiz de Fora

Adutora de Chapéu D'Uvas garantiu que Juiz de Fora não ficasse sem água durante a crise hídrica

Uma das mais importantes obras no quesito abastecimento de água da atual gestão, a nova adutora de Chapéu D´Uvas, juntamente com a inauguração da Estação de Bombeamento (Booster) localizada próximo ao Parque de Exposições, permitiu que a cidade inteira não sofresse com a crise hídrica de 2014. O Booster aumentou a oferta de água distribuída, principalmente nos períodos de maior consumo e, junto com a adutora, possibilitou que Juiz de Fora fosse uma das poucas cidades a superar a crise sem grandes problemas.

A implantação de 6.450 metros de tubulação de ferro fundido irá garantir mais flexibilidade operacional para o fornecimento de água na cidade. Com a interligação, a Estação de Tratamento de Água (ETA) Marechal Castelo Branco também poderá tratar a água vinda de Chapéu D´Uvas, que tem o volume de água de 11 vezes a Represa de João Penido, sendo, assim, nosso maior manancial.

E Bruno Siqueira também deu inicio aos trabalhos de tratamento do esgoto do município. O projeto de despoluição do Rio Paraibuna contempla a implantação de 40 quilômetros de tubulações ao longo das margens do rio e de cinco córregos municipais, cinco estações elevatórias para bombeamento dos afluentes e duas novas Estações de Tratamento de Esgoto, uma em Santa Luzia e a outra em Granjas Bethel, em fase de finalização.

Com a conclusão desse conjunto de obras que está recebendo um investimento de R$ 130 milhões, a cidade passa a ter mais de 60% de seu esgoto tratado. O objetivo desta administração é chegar à totalidade do tratamento nos próximos anos.

Compartilhar Voltar