Transporte e Mobilidade

DESENVOLVIMENTO URBANO, MOBILIDADE E MEIO AMBIENTE

Organismos vivos que são, as cidades são construídas, no dia a dia, pelos governantes, pelas pessoas e pelas atitudes e formas de interpretar o espaço urbano. A cidade na qual sonhamos viver é aquela que nós mesmos construímos com nossas próprias iniciativas, instituindo a democracia nos processos de decisão sobre os rumos, tornando legítimas as ações implementadas, contribuindo para a pacificação, inclusão dos diferentes segmentos sociais e, por fim, para a construção coletiva do direito à felicidade.

Nos últimos quatro anos, muitas ações e projetos foram desenvolvidos nas áreas de meio ambiente, desenvolvimento urbano e mobilidade, com o objetivo de manter o dinamismo social e político da cidade e agregar valor à sensação de bem-estar e harmonia nos planos individual e coletivo. Mas tudo isso deve estar associado ao conceito de sustentabilidade e, portanto, à necessidade de que o progresso humano seja construído, também, com o respeito à natureza e o conhecimento dos impactos da ação humana neste meio.

 

SÍNTESE DAS PROPOSTAS

- Implantar, de forma gradativa, o Plano Diretor Participativo de Desenvolvimento Urbano.

- Fortalecer as áreas centrais existentes nos bairros e regiões da cidade, através de planos de ação que congreguem comércio, serviços, lazer e sistemas viários locais.

- Dar prosseguimento ao processo de simplificação dos requerimentos para a obtenção de alvarás de construção, reforma e habite-se de obras.

- Apoiar a participação democrática na construção das políticas de desenvolvimento urbano.

– Ampliar e melhorar a mobilidade urbana, com implantação de binários em regiões de tráfego intenso, reestruturação urbano-viária das avenidas centrais e a interligação de bairros e regiões da cidade.

- Dar continuidade às ações de transposição da linha férrea.

- Articular a ampliação e conclusão das obras do acesso viário entre o município e a região do Aeroporto Regional da Zona da Mata, promovendo a reurbanização das vias locais, observando o zoneamento protetor estabelecido pela lei municipal.

- Ampliar o número de faixas exclusivas na cidade, buscando dar mais fluidez ao transporte coletivo urbano.

- Expandir o número de ciclorrotas e implantar ciclovias e/ou ciclofaixas onde isso for tecnicamente recomendável, buscando integrá-las a outros modos de transporte, criando também bicicletários em pontos estratégicos.

- Ampliar e melhorar a qualidade da oferta de rotas acessíveis às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida nas calçadas e travessias das vias públicas do Centro e dos bairros, com ações como a regularização de passeios públicos e adaptação às necessidades das pessoas.

- Fiscalizar de forma eletrônica as vias onde há restrição do tráfego de caminhões pesados.

- Incentivar deslocamentos a pé, por meio de sinalização.

- Realizar estudo de distribuição de cargas, com ampla participação da sociedade civil, buscando reordenar o fluxo de veículos de passeio e transporte coletivo urbano.

- Implementar conjunto de ações voltadas à revitalização, preservação e proteção dos mananciais e cursos d’água e das unidades de conservação existentes.

– Inventariar e revisar a arborização viária existente, nos termos da Lei Municipal, de origem do Executivo nesta gestão, que dispõe sobre a Política Municipal de Arborização Urbana; implantar o Plano Municipal de Arborização Urbana, estimulando também as ações coletivas de plantio de árvores.

- Ampliar o uso sustentável e social das áreas verdes, permitindo maior proximidade da população com o meio ambiente e, consequentemente, aumentando o Índice de Área Verde (IAV).

- Incentivar a criação de “corredores verdes” no perímetro urbano, de forma a permitir a ampliação das oportunidades de sobrevivência da fauna local.

- Fortalecer os mecanismos já existentes de educação ambiental, ampliando-os para aspectos como uso racional da água e conscientização da população na preservação das áreas verdes e na redução, reutilização e reciclagem de resíduos.

- Promover ações de racionalização de recursos naturais no âmbito da administração pública.

 

Política de Proteção Animal

- Ampliar o Programa de Castração Animal, expandido também o atendimento do Castramóvel.

- Replicar Parcães para outras praças e espaços da cidade.

- Desenvolver programas educativos contínuos de educação contra maus-tratos e pela posse responsável, além da conservação e respeito à fauna urbana.

- Realizar feiras constantes de adoção, em parceria com entidades de proteção animal, com cadastro dos tutores, para que os mesmos possam responder em caso de abandono ou abuso dos animais.

- Qualificar o programa “Cão Comunitário”, partindo do recolhimento dos animais para cadastramento, castração, vacinação, medicação antipulgas e vermífugos e chipagem, para posteriormente devolvê-lo ao ambiente onde vivem.

- Promover estudo, com ampla participação da sociedade civil e de órgãos de proteção animal, para construção do cemitério municipal para animais de pequeno porte.

- Ampliar o atendimento aos animais da população de baixa renda.

- Adotar sistema de identificação e cadastramento de animais no município.

Compartilhar Voltar